MENU
Formula One World Championship 2000

29 de dezembro de 2015 - 12:13F1

Mais um ano se passou… E o Schumacher?

SÃO PAULO | A pergunta continua sendo feita semana após semana, e a resposta continua sendo tão imprecisa quanto era há 12 ou há 15 meses. Não sei. Ninguém sabe direito.

Já se passaram dois anos desde o acidente de esqui sofrido por Michael Schumacher. Um domingo em Méribel, onde ele passava férias com a família, tinha um chalé e tudo. Descia a montanha com o filho, Mick, passou por cima de uma pedra coberta pela neve, desequilibrou-se e caiu.

Na queda, bateu a cabeça, protegida por um capacete, em uma pedra. A princípio, parecia bem, mas uma hemorragia interna logo se manifestou. Traumatismo craniano grave. Cirurgias de emergência. Coma profundo. Meses de agonia até que ele acordasse em 16 de junho de 2014, coincidentemente, o dia da estreia da Alemanha na Copa do Mundo. Semanas mais tarde, veio a transferência para uma clínica. Em setembro, para casa.

E lá está desde então. Poucos têm acesso. A família não divulga informações.

Há poucos dias, uma revista disse que Michael consegue dar alguns passos e está recuperando o movimento do braço. Prontamente, Sabine Kehm veio a público para negar tudo. Ainda, o advogado da família disse que o acidente, sim, foi um fato de domínio público que merecia ser reportado — a recuperação, no entanto, não é, e a família tem o direito à privacidade. Ok.

Já disse outra vez e torno a repetir: o que gera todas essas especulações e informações a respeito da condição de Schumacher é justamente o mistério feito pela família. Ao não dizer nada, criam-se todos esses burburinhos e surgem informações que, é claro, não são plenamente confiáveis.

Sinceramente, penso que Schumacher, se dependesse dele, seria favorável a uma divulgação maior da situação. Um comunicado que fosse. Com a família, já é diferente. Ele sempre foi um cara que chamou a exposição para si. Não se via muito sua mulher ou seus filhos. Estes sempre ficaram mais distantes do trato com a mídia — agora que Mick está começando a dar mais as caras, correndo na F4 Alemã. E a família quer a privacidade. A família não quer que se saiba qual a real condição de Schumacher.

Após o acidente, foi dito que o processo de recuperação seria longo. De um a três anos. Dois se passaram. Eu acredito que o quadro está evoluindo e que Schumacher está se recuperando, que ainda vamos vê-lo no futuro. Quando e em que condição, é outra história.

4 comentários

  1. Thiago Navarro disse:

    Respeitável a posição da família

  2. Alexandre disse:

    Engraçado, normalmente quem entra neste site sabe exatamente o que acontece no esporte a motor, principalmente se tratando de um cara como o Schumacher, pra que meu Deus ficar repetindo e repetindo o acidente que aconteceu com ele, parece até que isso aconteceu agora á pouco?

  3. Jr. disse:

    Nunca fui fã do Schumacher.
    Mas ele tem milhares de fãs pelo mundo inteiro, que torceram e vibraram com suas conquistas. Penso que a família tem sim o direito de preservá-lo de câmeras, holofotes, etc., mas poderia, em respeito aos fãs, divulgar sua real condição de saúde. Se assim fosse, não haveria especulações, como o próprio post diz. E tranquilizaria todos.

  4. Marcos disse:

    Para mim ele vai acabar morrendo , igual o shaolin humorista da tv , pois fica tanto tempo sem se mexer que não ha corpo que aguente sem ter um problema mais grave.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>